Fesspmesp e CSPM vão acionar judicialmente a Confetam e seu diretor jurídico por injúria e difamação

destaque, Sindicatos

As diretorias da Fesspmesp e CSPM vão cobrar judicialmente uma explicação da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam) em relação as absurdas afirmações do seu diretor, Humberto de Farias que se intitula secretário jurídico da entidade. Em vídeo, divulgado nas redes sociais, o diretor usa de má fé ao se referir as eleições que acontecem ontem e hoje, 25/09, na cidade de Presidente Venceslau.

Afirma que o “estatuto é sujo e bandido” e acusa a diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Presidente Venceslau (Sindiserve), além da Fesspmesp e a Confederação dos Servidores Públicos Municipais (CSPM) de dar suporte a um processo eleitoral que na opinião dele, é fraudulento na medida em que possui um estatuto “fechado para ganhar eleições”.

O presidente em exercício da Fesspmesp, José Flamínio Leme, rebate o discurso de Humberto de Farias com veemência. “Como afirmar que o estatuto é fechado e que foram dados poucos dias para participação dos concorrentes, se três chapas se inscreveram? Se fosse assim, somente a situação estaria concorrendo”, frisa ele. Leme entende que Humberto de Farias comete injúria e difamação e deve ser responsabilizado pelo que fala e divulga nas redes sociais. “As pessoas não podem sair falando o que querem e ficar impunes. Tem de responder por seus atos”, avisa.

O procurador jurídico da Fesspmesp e CSPM, o advogado Jamir Menali, se manifestou em vídeo em relação ao assunto. Destaca que o estatuto é legítimo e caracteriza as críticas como “jus sperniandi” ou a reação de alguém que já se sabe perdedor começar a espernear e acusar quem está pela frente. Confira o vídeo na íntegra.

Deixe uma resposta